23 de novembro de 2014

Homicídio em Solânea: mulher é alvejada na porta de um bar em frente ao cemitério público
O homicídio aconteceu na tarde desta sexta-feira (21), por volta das 13h50 na porta de um bar em frente ao cemitério público em Solânea, brejo paraibano.
Informações preliminares dão conta de que Darlânia Fidelis de Lima, 19 anos, vulgo “Michael Jackson”, bebia no bar na companhia de amigos, quando foi surpreendida por um homem armado que efetuou os disparos contra a mesma e se evadiu tomando rumo ignorado em um carro desconhecido.
homicidio
Darlânia não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Policiais da Segunda Cia de Solânea compareceram ao local para apurar mais sobre o crime ocorrido, viaturas da polícia efetuaram diligências pela região na busca de acusados mais até o fechamento desta matéria ninguém havia sido preso.
O corpo de Darlânia será levado pelo Gemol para o IML de Guarabira de onde serão tomadas as providências cabíveis.


Apreendido menor que matou, a tiros, ex-namorada dentro de escola municipal em João Pessoa
beatrizO menor, 15 anos, que matou uma adolescente dentro de uma escola em Mandacaru, Zona Norte de João Pessoa foi apreendido na tarde deste domingo (23), no Centro da Capital. Câmeras de monitoramento do colégio registraram o momento em que o menor baleou a estudante.
Após denúncias, o menor foi localizado em um escritório de advocacia, na Avenida João Machado, onde estava na companhia da mãe e de uma prima, na presença de um advogado. “Não houve resistência à apreensão. Conversamos com a mãe dele e vimos que a família já estava se preparando para que ele se entregasse.

Estamos o conduzindo para a Delegacia do Menor Vítima, onde se encontra o delegado plantonista”, relatou o tenente Gama, do 1º Batalhão da PM, oficial que encontrou o adolescente.
A adolescente Maria Beatriz, 14 anos, baleada na manhã desta sexta-feira (21), não suportou as conseqüências dos ferimentos e morreu após horas de cirurgia no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Câmeras da escola registraram o momento em que os tiros foram disparados e as imagens estão sendo repassadas para polícia.
Um aluno armado surpreendeu a estudante quando ela estava no bebedouro da unidade escolar e atirou três vezes contra o abdômen da garota. A menor foi socorrida por uma viatura da Polícia Militar para ao Hospital, mas não resistiu.
MaisPB 
Mal terminou a disputa estadual na Paraíba e a eleição municipal de 2016 já entrou com força na pauta de discussões. Depois de ter lançado candidatura própria em 2014, o PMDB mais uma vez deverá optar pelo protagonismo, pelo menos é o que defende o deputado federal Manoel Júnior (PMDB).
Segundo o parlamentar, a executiva tem que preparar o partido não só para disputar aprefeitura  da Capital, mas também nos outros 222 municípios do Estado.
“Nós precisamos é preparar o PMDB para disputar todas as prefeituras do Estado, mas sem efetivamente nominar quem serão os candidatos, o que nós sabemos é João Pessoa tem muitos problemas principalmente na periferia, tem problemas na infraestrutura, na educação, na segurança, precisamos dar qualidade de vida ao turista, ao morador, João Pessoa precisa ser cuidada e bem cuidada, e precisamos participar desse processo”, falou.
Indagado se poderia ser um dos nomes do PMDB para disputar a gestão municipal, Manoel Júnior lamentou a tentativa de antecipação do pleito e destacou que no momento certo os nomes serão discutidos e que o importante era fazer do PMDB o protagonista.
Márcia Dias
PB Agora

ANUNCIE AQUI

anuncio

Líder do PT no Senado Humberto Costa recebeu R$ 1 milhão de empreiteiras, diz ex-diretor da Petrobras Paulo Costa

Senador (PT-PE)
 O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa acusou o líder do PT no Senado, Humberto Costa, de ter recebido 1 milhão de reais do esquema de propinas pagas por empreiteiras a partir de contratos da estatal. A acusação foi feita no âmbito da delação premiada, a que Paulo Roberto Costa aderiu. Segundo o ex-diretor de abastecimento da Petrobras, que cumpre pena domicilar em seu apartamento no Rio, o petista teria utilzado o dinheiro em sua campanha ao Congresso Nacional, em 2010.
O nome do ex-ministro da Saúde do governo Lula se junta assim ao de outros políticos apontados por Paulo Roberto Costa como beneficiários do esquema, como o da ex-ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que teria recebido 1 milhão de reais em um shopping center, por meio de intermediários, e os do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, do PSB, e do ex-senador do PSDB Sérgio Guerra, ambos já mortos. A denúncia está na edição deste domingo do jornal O Estado de São Paulo.
Guerra teria usado o recurso obtido para abafar uma CPI sobre a Petrobras instaurada em 2009. E Gleisi e Campos, de acordo com Costa, teriam feito do propinoduto fonte de financiamento de campanha, da mesma forma que Humberto Costa. O ex-ministro de Lula teve como intermediário o empresário Mário Barbosa Beltrão, que é seu amigo de infância e presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (Assimpra). O dinheiro de Humberto Costa teria saído da cota de 1% do PP, partido aliado do PT no governo, que controlava a diretoria de abastecimento, da qual Paulo Roberto Costa era o nome principal.
O ex-diretor da Petrobras teria conhecido o senador petista quando ele ainda era ministro, cargo que exerceu entre 2003 e 2005, no primeiro mandado de Lula. De 2007 a 2010, ano em que se elegeu para o Senado, o petista foi secretário das Cidades de Pernambuco.
Paulo Roberto Costa foi apontado como homem-bomba capaz de detalhar os meandros de um esquema de corrupção que envolvia PT, PMDB e PP na Petrobras. Reportagem de VEJA revelou que, na delação que pode reduzir sua futura pena ou mesmo lhe render o perdão judicial, ele afirmou que políticos da base aliada da presidente Dilma Rousseff, o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) e governadores receberam dinheiro do esquema. De acordo com depoimento de Costa, o esquema funcionou nos dois mandatos do ex-presidente Lula e continuou na atual gestão de Dilma.
Em outro depoimento do ex-diretor à Justiça, também revelado por VEJA, Paulo Roberto Costa disse que a campanha da presidente-candidata Dilma Rousseff em 2010 pediu dinheiro ao esquema de corrupção que ele liderava na Petrobras.
Leia abaixo a íntegra da nota enviada por Humberto Costa:
1. Todas as doações de campanha que recebi na minha candidatura ao Senado em 2010 foram feitas de forma legal, transparente, devidamente declaradas e registradas em minha prestação de contas à Justiça Eleitoral e inteiramente aprovadas, estando disponíveis a quem queira acessá-las;
2. Assim, nego veementemente ter pedido a quem quer que seja que solicitasse qualquer doação de campanha ao sr. Paulo Roberto;
3. Tal denúncia padece de consistência quando afirma que a suposta doação à campanha teria sido determinada pelo Partido Progressista (PP) por não haver qualquer razão que justificasse o apoio financeiro de outro partido à minha campanha;
4. Mais inverossímil ainda é a versão de que se o sr. Paulo Roberto não tivesse autorizado tal doação, correria o risco de ser demitido, como se eu, à época sem mandato e tão somente candidato a uma vaga ao Senado, tivesse poder de causar a demissão de um diretor da Petrobras;
5. Causa espécie o fato de que ao afirmar a existência de tal doação, o sr. Paulo Roberto não apresente qualquer prova, não sabendo dizer a origem do dinheiro, quem fez a doação, de que maneira e quem teria recebido;
6. Conheci o sr. Paulo Roberto em 2004 e minha relação com ele se deu no campo institucional, no processo de implantação da refinaria de petróleo em Pernambuco, do qual participei assim como vários políticos, empresários e representantes de outros segmentos da sociedade pernambucana o fizeram;
7. Conheço e sou amigo de infância do sr. Mário Beltrão, presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (ASSINPRA), que também foi partícipe da mesma luta pela refinaria. Porém, em nenhum momento eu o pedi e ele muito menos exerceu o papel de solicitar recursos ao Sr. Paulo Roberto para a campanha ao Senado de 2010;
8. Tenho uma vida pública pautada pela honradez e seriedade, não respondendo a qualquer ação criminal, civil ou administrativa por atos realizados ao longo de minha vida pública;
9. Sou defensor da apuração de todas as denúncias que envolvam a Petrobras ou qualquer outro órgão do Governo. Porém, entendo que isso deve ser feito com o cuidado de não macular a honra e a dignidade de pessoas idôneas. O fato de o sr. Paulo Roberto estar incluído em um processo de delação premiada não dá a todas as suas denúncias o condão de expressar a realidade dos fatos;
10. Aguardo com absoluta tranquilidade o pronunciamento da Procuradoria-Geral da República sobre o teor de tais afirmações, ocasião em que serão inteiramente desqualificadas. Quando então, tomarei as medidas cabíveis;
11. Informo ainda que me coloco inteiramente à disposição de todos os órgãos de investigação afetos a esse caso para quaisquer esclarecimentos e, antecipadamente, disponibilizo a abertura dos meus sigilos bancário, fiscal e telefônico.
Veja

FECHANDO A MARVADA : Miss bumbum ‘volta a ser virgem’ e viaja para ensaio nu


Himenoplastia, é o nome da cirurgia que devolve o Hímen as criaturas ja descabaçadas

Loira arrumou as malas com destino a República Domicana

 Indianara Carvalho, a Miss Bumbum 2014, realizou a cirurgia íntima que a tornou virgem novamente com um procedimento de reconstituição de hímen.
“Foi uma cirurgia rápida, sinto apenas um pequeno incômodo e terei de ficar quinze dias sem fazer sexo”, revelou a gata.
Logo após a cirurgia, a loira arrumou as malas com destino a República Domicana, onde fará um ensaio nu para uma revista masculina. “Quero posar como vim ao mundo, a Miss Bumbum virgem”, disparou Indianara.
Rede TV
Sem propina, não se faz obra pública, alega advogado


Advogado do lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, Mario de Oliveira Filho afirmou ontem que, no Brasil, não se faz obra pública sem “acerto” e que quem nega isso “desconhece a história do país’. Apontado como operador do PMDB em esquema de desvio de recursos na Petrobras, Fernando Baiano vai depor amanhã. 
O lobista se entregou anteontem na sede da Polícia Federal de Curitiba e é um dos 24 presos que tiveram a prisão decretada na sexta-feira pela Operação Lava Jato — 11 deles já foram liberados.
 
“O empresário, se porventura faz alguma composição ilícita com político para pagar alguma coisa, é porque se ele não fizer isso não tem obra. Pode pegar qualquer empreiteira e prefeitura do interior do país. Se não fizer acerto, não coloca um paralelepípedo no chão”, afirmou Oliveira Filho.
 
O advogado do lobista disse ainda que os empresários detidos na Operação Lava Jato são “vítimas da cultura política do país”. Oliveira Filho negou, no entanto, que seu cliente tenha intermediado pagamento de propina em obras da Petrobras.
 
A participação de Baiano foi citada em depoimentos feitos pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. “Estão tratando ele como bode expiatório. Ele é um empresário que descobre um problema de infraestrutura e vai atrás da solução, vai atrás da empresa que tem a solução, recebendo uma porcentagem absolutamente legítima disso”, justificou o advogado.
 
Segundo os depoimentos de Youssef e de Paulo Roberto Costa, Fernando Baiano seria o operador do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras. Mas, de acordo com Oliveira Filho, Baiano não tem relações com o partido. “Dizem que ele é ligado ao PMDB. Perguntei para ele, e ele disse que não conhece o Renan Calheiros, que nunca viu e que não tem ligação nenhuma com o PMDB”, afirmou.
 
O advogado voltou a dizer que Baiano foi “surpreendido” com o pedido de prisão decretado na sexta-feira. Segundo ele, seu cliente tinha passagem marcada para Curitiba para depor na Polícia Federal. “Ele abriu mão de depor no Rio, onde mora, para vir a Curitiba esclarecer tudo. Estava colaborando com a Justiça”, afirmou.
 
Polícia Federal ouve executivo da Camargo Corrêa
 
O vice-presidente da empreiteira Camargo Corrêa, Eduardo Leite, poderá “colocar a mão à palmatória” em novo depoimento à Polícia Federal. A afirmação é de Cláudio Mariz de Oliveira, advogado de Leite. 
 
Ao depor ontem pela manhã, o executivo da Camargo Corrêa respondeu apenas a questionamentos básicos sobre sua função na empreiteira. Por orientação de seu advogado, ele não respondeu as perguntas sobre contratos firmados entre a construtora e a Petrobras. 
 
Anteontem, Sérgio Mendes, presidente da Mendes Júnior, confessou à Polícia Federal que pagou R$ 8 milhões ao doleiro Alberto Yousseff, a mando do ex-diretor de
 
Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa. 
 
Segundo Mariz de Oliveira, seu cliente não se manifestou porque não teve acesso ao teor das acusações. O advogado observou, porém, que Leite poderá falar em novo depoimento, depois que a defesa tiver acesso ao inquérito. “Vamos colaborar. Vamos tomar conhecimento de todos os fatos e aí podemos colaborar com um depoimento mais específico na sequência”, disse o advogado. 
 
Ele confirmou ter entrado com um pedido de liberdade para seu cliente. “Nós já entramos com o pedido de Habeas Corpus. Por enquanto, ele permanece preso”, disse.
Viajando do Rêgo: R7 cita Vital como campeão nos gastos com passagens



O Portal R7 destacou, nesta segunda-feira (17), os gastos excessivos que os 36 senadores, que disputaram cargos eletivos nas Eleições 2014, tiveram com passagens aéreas durante o processo eleitoral. Dentre os parlamentares citados está o senador paraibano Vital do Rêgo (PMDB), que desta vez aparece em mídia nacional, por liderar o ranking do 'cotão' das passagens do Senado.
De acordo com a matéria, dos 36 senadores/candidatos que utilizaram a cota de passagens aéreas excessivamente, apenas 10 conseguiu se eleger, o que não foi o caso do campeão de viagens, Vitalzinho do Rego, que gastou R$ 37.291,56 - no período de 5 de julho e 5 de outubro - sem obter êxito na corrida eleitoral pelo Governo do Estado da Paraíba.
Confira a matéria:
Senadores em campanha gastam o suficiente para dar 67 voltas no País com passagens aéreas
Os senadores que disputaram cargos eletivos nas Eleições 2014 gastaram R$ 247,4 mil da cota parlamentar com passagens aéreas durante a campanha eleitoral (veja arte abaixo). Esse dinheiro é suficiente para fazer 67 viagens de avião ao redor do País, ao custo de R$ 3.664 cada, passando por oito cidades: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Recife (PE), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Brasília (DF) e Porto Alegre (RS).
Os dados constam de um levantamento feito pela reportagem do R7 com os 81 senadores em exercício e os três parlamentares que se licenciaram.
A pesquisa considerou o intervalo entre 5 de julho e 5 de outubro, período oficial de campanha eleitoral estipulado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), e os dados foram retirados do portal da Transparência do Senado. No caso das passagens aéreas, a reportagem fez a cotação em 13 de novembro considerando viagens em janeiro.
Dos 36 parlamentares da Casa que concorreram, apenas três se licenciaram do posto para evitar conflitos de interesses - Armando Monteiro (PTB-PE), Eduardo Amorim (PSC-SE) e Alvaro Dias (PSDB-PR).
Para concorrer a um cargo eletivo, os senadores não são obrigados a se licenciar do Parlamento. No entanto, no período eleitoral, precisam se preocupar em não misturar as tarefas parlamentares com as agendas oficiais de campanha.
A Ceaps (Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores), também conhecida como "cotão", é uma verba a que os senadores têm direito para custear passagens aéreas, locação de veículos, aluguel de imóveis, compra de material de escritório, táxi, hospedagem, alimentação, consultorias, segurança particular, entre outros.
Dos 36 senadores que disputaram cargos eletivos em 2014, dez se elegeram para governos de Estado, Assembleias Legislativas ou se reelegeram para o Senado - casos de Alvaro Dias (PSDB-PR), Kátia Abreu (PMDB-TO), Acir Gurgacz (PDT-RO), Fernando Collor (PTB-AL) e Maria do Carmo (DEM-SE).
Os senadores Wellington Dias (PT-PI), Pedro Taques (PDT-MT) e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) venceram a eleição e vão governar Piauí, Mato Grosso e Distrito Federal, respectivamente, a partir de 2015.
Outros três também concorreram, mas não como cabeça de chapa. São eles: Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), vice de Aécio Neves na disputa à Presidência; Francisco Dornelles (PP-RJ), vice de Luiz Fernando Pezão no governo do Rio de Janeiro; e Cyro Miranda (suplente de senador).
Gastões
Os 36 parlamentares que se empenharam em campanhas eleitorais em 2014 gastaram, em média, R$ 6.873 com passagens aéreas da cota parlamentar. Catorze senadores gastaram mais que a média.
O líder de gastos com viagens de avião é Vital do Rêgo (PMDB), que disputou o governo da Paraíba e perdeu a disputa. Nos três meses de campanha, ele gastou R$ 37.291. Em segundo lugar, aparece Kátia Abreu (PMDB), reeleita senadora pelo Tocantins, com R$ 18.921 investidos em passagens aéreas.
Completa o ranking Inácio Arruda (PCdoB), que concorreu a uma vaga de deputado federal pelo Ceará e não se elegeu (ficou como suplente). Ele usou R$ 18.359 da cota parlamentar para emitir bilhetes aéreos na campanha eleitoral, segundo os dados da Transparência do Senado.


Por outro lado, nove senadores que disputaram o pleito em 2014 não gastaram um tostão sequer para comprar passagens aéreas. São eles: Fernando Collor (PTB-AL), Maria do Carmo (DEM-SE), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Armando Monteiro (PTB-PE), Gim Argello (PTB-DF), Aécio Neves (PSDB-MG), Marcelo Crivella (PRB-RJ), Eduardo Braga (PMDB-AM) e Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Casal é morto a tiros no bairro do Valentina, em João Pessoa

Casal é morto a tiros no bairro do Valentina, em João Pessoa
 Um casal foi assassinado a tiros na noite de sexta-feira (21) no bairro Valentina Figueiredo, em João Pessoa. De acordo com as informações da delegacia dehomicídios da Polícia Civil, as vítimas estavam em um carro entre as comunidades Nova Mangabeira e Paratibe, quando foram abordadas pelos suspeitos.

Por volta das 19h, quatro homens estavam em duas motos e se aproximaram do veículo do casal, atirando várias vezes. As vítimas tentaram fugir e buscar ajuda, mas não resistiram aos ferimentos.

Segundo a polícia, os atiradores ainda não foram identificados e o motivo do crime é ignorado. A Polícia Militar realizou buscas em toda a região, mas os suspeitos não foram localizados até as 8h30 deste sábado (22). Os corpos foram encaminhados para a Gerência de Medicina e Odontologia Legal (Gemol) de João Pessoa.



Redação com G1

Enterrado o corpo de adolescente baleada em escola de João Pessoa

Enterrado o corpo de adolescente baleada em escola de João Pessoa
 O corpo da estudante Maria Beatriz Souza Santana, de 14 anos, que foi atingida por três disparos de armas de fogo dentro de uma escola pública de João Pessoa, foi enterrado no cemitério Santa Catarina, no Bairro dos Estados, em João Pessoa, por volta das 16h20 (horário local) deste sábado (22). Uma multidão, formada por amigos, familiares, policiais e curiosos, esteve presente para se despedir da menina. Ela morreu na sexta-feira (21), no Hospital de Trauma de João Pessoa, onde foi atendida e passou por cirurgia. O principal suspeito, que é ex-namorado da vítima, ainda está foragido e é procurado pela polícia.


Conforme registro do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), o caso ocorreu por volta das 10h (horário local). Segundo informações da Unidade de Polícia Solidária (UPS) do bairro, o estudante entrou armado na escola e, na hora do intervalo das aulas, foi até a adolescente e disparou três vezes. Ela foi atingida pelos três tiros no abdômen e no tórax e levada para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

Em entrevista coletiva à imprensa, o diretor do Trauma, Edvan Benevides, informou que dois tiros determinaram a morte da menina: um no tórax, que perfurou os dois pulmões, e um no abdômen, que atingiu diversos órgãos do sistema digestivo. Durante o procedimento cirúrgico, ela sofreu três paradas cardio-respiratórias. Em duas delas, a equipe conseguiu reanimá-la, mas a adolescente não resistiu à terceira.

Motivações A polícia investiga duas informações que podem ajudar a explicar o caso. De acordo com o superintendente de Polícia Civil na Região Metropolitana, Wagner Dorta, colegas da vítima e do suspeito contaram que eles já tinham namorado, mas a polícia também identificou que o jovem já foi detido por tráfico de drogas. Segundo Dorta, o rapaz chegou a apontar a arma para a vice-diretora da escola antes de conseguir fugir do local.

Câmeras flagraram os tiros Nas imagens divulgadas pela polícia, é possível ver quando a adolescente sai andando em direção a um bebedouro acompanhada de uma colega de classe e é seguida pelo rapaz. Ao ser atingida pelo primeiro disparo a estudante tenta fugir, mas corre na direção do supeito, que dispara outras duas vezes contra a jovem e foge. Ainda no vídeo, é possível ver o rapaz ameaçando funcionários na área interna da escola. Já as câmeras da área externa mostram quando ele pula as grades e foge correndo. A polícia continua a procura do adolescente que matou a estudante, mas até às 21h30 (horário local), o jovem ainda não havia sido encontrado.

Redação com G1

Imprensa nacional revela que PMDB pode levar Ministérios da Saúde e das Cidades e Vital para o TCU

Imprensa nacional revela que PMDB pode levar Ministérios da Saúde e das Cidades e Vital para o TCU
O portal nacional Diário do Poder, na coluna assinada pelo jornalista Cláudio Humberto trouxe neste domingo (23) que o vice-presidente da República, Michel Temer, teria confidenciado a parlamentares que pleiteará junto à presidenta Dilma os comandos dos ministérios da Saúde e das Cidades, hoje sob o controle do PT e do PP, respectivamente.

Áreas estratégicas do governo federal, o Ministério da Saúde tem orçamento de R$ 109,2 bilhões previsto para 2015. Já o de Cidades passa de R$ 27,8 bilhões.

Além dos Ministérios, o PMDB está contado para assumir uma vaga no Tribunal de Contas da União (TCU). O senador paraibano Vital do Rêgo, é o preferido da legenda.

O senador Vital do Rêgo (PMDB), que hoje presidente a Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ) e a CPI mista da Petrobras, é o nome escolhido pelo partido, em acordo com o governo, para ocupar a vaga do ministro José Jorge no Tribunal de Contas da União (TCU), que se aposentou em 18 de novembro. Cotado para ocupar o Ministério da Defesa, ou assumir a liderança do governo no Senado, bem como, a à presidência da Casa caso Renan Calheiros (PMDB-AL) realmente desistisse da reeleição, Vital do Rêgo, deve mesmo ir para o TCU.

Esta semana a imprensa nacional divulgou que o Palácio do Planalto aceita Vital do TCU em troca de Eduardo Cartozo no STF. O recado repassado aos deputados do PMDB é que a fatura para que o Planalto emplaque o ministro José Eduardo Cardozo no Supremo Tribunal Federal deve ser mesmo a vaga pleiteada no Tribunal de Contas da União para o senador paraibano

Se tudo caminhar como previsto, Ideli Salvatti (PT) deve perder a vez na lista de indicações para o TCU. Já o Ministério da Justiça, hoje comandado por Cardozo, pode ir parar nas mãos de Luís Inácio Adams, hoje ministro da Advocacia-Geral da União (AGU).


Confira a nota sobre Michel Temer na integra: PMDB QUER TAMBÉM PASTAS DE SAÚDE E CIDADES O vice-presidente da República, Michel Temer, confidenciou a parlamentares que pleiteará junto à presidenta Dilma para seu partido os comandos dos ministérios da Saúde e das Cidades, hoje sob o controle do PT e do PP, respectivamente. Áreas estratégicas do governo federal, o Ministério da Saúde tem orçamento de R$ 109,2 bilhões previsto para 2015. Já o de Cidades passa de R$ 27,8 bilhões. Redação com Diário do Poder  

Manoel Júnior não descarta liderança do PMDB na Câmara, mas diz que prioridade é de Eduardo

Manoel Júnior não descarta liderança do PMDB na Câmara, mas diz que prioridade é de Eduardo
Cotado para liderar a bancada do PMDB na Câmara dos Deputados na próxima legislatura, o deputado federal reeleito pela Paraíba, Manoel Júnior (PMDB), não descartou a possibilidade de assumir o posto, mas condicionou a hipótese à ascensão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) como o novo presidente do legislativo federal.

“A prioridade é eleger o nosso líder atual Eduardo Cunha, que tem sido uma figura extremamente correta com o partido e com a bancada, ele foi eleito com meu voto, com minha ajuda e hoje podemos dizer que seu nome é unanimidade na bancada. O nosso líder é candidato a presidenteda Câmara e eu estou envolvido e coordenando essa campanha”.

Já em relação a liderança do PMDB, Manoel Júnior admitiu que estava entre os cotados e que seria uma honra poder representar o partido e os correligionários no âmbito do parlamento federal.

“Eu posso lhe dizer que nós estamos cotados, somos um dos nomes que está sendo apresentado, mas se efetivamente Eduardo for eleito presidente da Casa, esse segundo momento será um momento de debate interno da bancada, para saber quem é o nome que possa reunir melhor condições de liderar nossa bancada e se assim acontecer eu terei imenso prazer e honra de estar liderando os meus companheiros, a minha bancada, as pessoas que me confiaram o direito de ser vice líder do PMDB, porque hoje eu ajudo Eduardo na condição de ser vice líder”, falou.

Veículo desliza em ladeira, colide com poste em CG

Veículo desliza em ladeira, colide com poste em CG
 Um acidente na manhã deste sábado (22) causou a interrupção de energia no bairro da Bela Vista, em Campina Grande, no Agreste paraibano. O motorista de um Hyundai Hr Carroceria perdeu o controle do veículo ao subir a ladeira da rua Pedro Segundo e desligou até colidir com um poste. Por pouco o carro não invadiu uma das casas do bairro.

O acidente aconteceu por volta às 9h e assustou os moradores. Segundo a Companhia de Policiamento do Trânsito (Cptran), o motorista informou que no momento da colisão chovia no local, o que contribui para provocar o acidente. Ninguém ficou ferido.

Os moradores da rua Pedro Segundo relataram que é comum que aconteçam acidentes no local, porque os motorista trafegam em alta velocidade. Eles reivindicam uma lombada eletrônica para coibir as infrações.

Redação com portalcorreio

INFERNO ASTRAL: grupo político de deputado paraibano sofre defecções e oposição ganha dividendos com desgaste administrativo

 INFERNO ASTRAL: grupo político de deputado paraibano sofre defecções e oposição ganha dividendos com desgaste administrativo
O resultado das eleições estaduais no município de Monteiro apresentou um cenário bastante preocupante para o grupo do deputado João Henrique e da prefeita Edna Henrique, onde o candidato Cássio Cunha Lima, apoiado pelo grupo teve um resultado negativo tanto no primeiro, como no segundo turno das eleições 2014.



Segundo relatos do Blog o Pipoco, quem saiu fortalecido com o resultado do pleito eleitoral deste ano, foi o grupo de oposição, liderado pelo deputado Carlos Batinga e ex-vereador Juraci Conrado junto com a Ex-prefeita lourdinha Aragão e o ex-vice prefeito Eugenio Henrique e vereadores de oposição, que mesmo com quase cinco anos e quatro meses fora do poder, e apenas dois vereadores na Câmara Municipal, o grupo mostrou força e união, e conseguiu derrota com ampla vantagem, o grupo de situação, que tinha em suas mãos toda a estrutura administrativa municipal, 11 dos 13 vereadores eleitos em 2012, além dos 6 suplentes de vereadores, que assumiram a vaga, por conta de um jogo político da prefeita que afastou 6 vereadores titulares, além do deputado João Henrique e a prefeita Ednacé Henrique.



A situação de desgaste vivido pelo grupo do deputado João Henrique, ainda vai mais além, pois faltando menos de dois anos para as eleições municipais, o grupo ser quer trabalhar para forma um nome para sucessão da prefeita Edna, que está em seu segundo mandato.Com o alto índice de rejeição que o grupo tem adquirido, fica ainda mais difícil forma um nome a altura, para concorrer com o candidato da oposição, Juraci Conrado, que hoje é o favorito para vencer as próximas eleições municipais de 2016.



Um dos fatores dessa alta rejeição é a má gestão que o grupo vem fazendo na cidade nos últimos seis anos. A falta de diálogo, e a distância entre o governo e os monteirenses, que têm prejudicado muito eles.


Pior do que a derrota é ver os seus aliados deixarem o grupo, e se juntarem com a oposição, por verem que é na oposição que eles voltam a ser respeitados e tem a oportunidade de reconstruírem sua dignidade, e é esse dilema que o deputado João Henrique e a prefeita Edna, têm vivenciado.



Várias lideranças políticas deixaram o grupo durante o período eleitoral e após, um exemplo, é o vereador Tiba, que depois que aderiu ao grupo de oposição, passou a ser respeitado e conseguiu um alto índice de popularidade, o que favorece a sua candidatura à reeleição em 2016.



Há quem diga que até junho de 2016, a oposição tenha maioria na Câmara Municipal, e nas ruas já se cogitam até os nomes dos futuros vereadores aliados do deputado Batinga e do candidato a prefeito, Conrado.



Sem ter outra saída, e sem conseguir forma um nome a altura para concorrer com a oposição, o grupo do deputado João Henrique começa há contar os dias para deixar o governo municipal. E o pior, os próprios aliados de João Henrique, já admitem a vitória de Juraci Conrado em 2016.


PB Agora

ustiça decreta prisão do lobista

Justiça decreta prisão do lobista
 O juiz federal Sergio Moro decretou nesta sexta-feira (21) a prisão preventiva do lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, que está na carceragem da Polícia Federal em Curitiba. Ele estava em prisão temporária até sábado (22), mas, baseado em parecer do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça decretou a prisão por tempo indeterminado. Sobre a prisão de Adarico Negromonte Filho, que está foragido, Moro informou que decidirá posteriormente.

Ricardo Calil, um dos advogados de Fernando Baiano, que informou que não comentaria o caso. Ao contrário da prisão temporária, que tem prazo de cinco dias, a prisão preventiva não tem data para terminar, dependendo de decisão judicial. Fernando Baiano é apontado pelo doleiro Alberto Youssef como operador do PMDB no esquema de corrupção que envolve a Petrobras. Na avaliação de Mário de Oliveira Filho, o lobista está sendo usado como “bode expiatório” no processo da Lava Jato. Em delação, o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa acusou o PT, PMDB e PP de receber dinheiro oriundo de propina – os partidos negam.

Nesta sexta, Fernando Baiano prestou depoimento por três horas na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba. Ao sair da PF no fim desta tarde, o advogado Mário de Oliveira Filho, que o representa, disse que seu cliente respondeu a todas as perguntas, colaborando "no que podia" com as investigações. Ele negou qualquer relação com o PMDB, de acordo com o advogado.

O advogado não passou mais informações sobre o depoimento, que começou às 14h30 e encerrou por volta das 17h30 desta sexta. Fernando Baiano está preso na carceragem da Polícia Federal, na capital paranaense, desde terça-feira (18), quando se entregou à polícia. Baiano era considerado foragido desde 14 de novembro, dia em que a sétima fase da Operação Lava Jato, da PF, foi deflagrada.

G1

Suspeito de matar estudante de 14 anos em escola de João Pessoa é apreendido na tarde deste domingo

Suspeito de matar estudante de 14 anos em escola de João Pessoa é apreendido na tarde deste domingo
  A polícia apreendeu na tarde deste domingo (23) o adolescente de 15 anos suspeito de ter atirado e matado a estudante Maria Beatriz Souza Santana, de 14 anos. O jovem foi levado por uma guarnição da Polícia Militar para a delegacia da Infância e Juventude de João Pessoa, mas a delegada Joana Darc o encaminhou para a Vara da Infância e Juventude, onde ele aguardava às 15h20 para ser ouvido pelo juiz.

De acordo com a polícia, o suspeito foi encontrado em um escritório de advocacia que funciona na avenida João Machado, no Centro de João Pessoa. Ele estava acompanhado da mãe e de outros familiares, além de um advogado, e não resistiu à apreensão. No momento em que foi localizado pela polícia, ele estava com a pele ainda manchada pela tinta usada para pintar o cabelo de preto. A arma usada para atirar em Maria Beatriz não foi encontrada com ele.

Maria Beatriz foi atingida por três disparos de armas de fogo dentro de uma escola pública de João Pessoa na sexta-feira (21), chegou a ser socorrida e levada para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, mas não resistiu à cirurgia a que foi submetida e morreu ainda na sexta-feira. Ela foi enterrado no cemitério Santa Catarina, no Bairro dos Estados, na capital, na tarde do sábado (22), quando uma multidão, formada por amigos, familiares, policiais e curiosos, esteve presente para se despedir da menina.

Conforme registro do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), o caso ocorreu por volta das 10h (horário local). Segundo informações da Unidade de Polícia Solidária (UPS) do bairro, o estudante entrou armado na escola e, na hora do intervalo das aulas, foi até a adolescente e disparou três vezes. Ela foi atingida pelos três tiros no abdômen e no tórax e levada para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

Em entrevista coletiva à imprensa, o diretor do Trauma, Edvan Benevides, informou que dois tiros determinaram a morte da menina: um no tórax, que perfurou os dois pulmões, e um no abdômen, que atingiu diversos órgãos do sistema digestivo. Durante o procedimento cirúrgico, ela sofreu três paradas cardio-respiratórias. Em duas delas, a equipe conseguiu reanimá-la, mas a adolescente não resistiu à terceira.

Motivações A polícia investiga duas informações que podem ajudar a explicar o caso. De acordo com o superintendente de Polícia Civil na Região Metropolitana, Wagner Dorta, colegas da vítima e do suspeito contaram que eles já tinham namorado, mas a polícia também identificou que o jovem já foi detido por tráfico de drogas. Segundo Dorta, o rapaz chegou a apontar a arma para a vice-diretora da escola antes de conseguir fugir do local.

Redação com G1

Cruzeiro vence Goiás por 2 x 1 e conquista título do Brasileirão 2014

Cruzeiro vence Goiás por 2 x 1 e conquista título do Brasileirão 2014
 Dirá a tabela, essa insensível, que o Cruzeiro foi campeão brasileiro neste domingo, dia 23 de novembro de 2014, ao vencer o Goiás por 2 a 1. Às favas a tal da lógica. Porque o Cruzeiro, de tão superior, não foi campeão: o Cruzeiro vem sendo campeão. Até chegar ao gol de Ricardo Goulart, aos 12 minutos do primeiro tempo em um Mineirão encharcado, teve muita coisa: um elenco que vale por dois; uma comissão técnica inventiva e interessada; um departamento de futebol alheio a caprichos presidenciais. Até chegar ao gol de Everton Ribeiro, aos 17 minutos do segundo tempo, teve um bocado mais: um centro de treinamento invejável; salários em dia; harmonia; medalhões como complemento para jogadores em crescimento (não o contrário); quase 70 mil sócios pagando mais de metade da folha salarial do futebol.

O segundo título consecutivo, quarta conquista de Brasileiro da história do clube, consolida o Cruzeiro como referência, bota mais uma estrela em uma constelação que não cessa de crescer e enche de orgulho a torcida que pegou muita, muita, muita chuva para lotar o estádio. O jogo não foi dos melhores - o gramado impediu que fosse. Muito pesado, tomado por poças nas laterais, ele recebeu uma partida pouco fluente. Uma pena: o que esse time do Cruzeiro mais tem é justamente fluência. Com a vitória, a Raposa foi a 76 pontos, inalcançável na ponta do campeonato. São sete de vantagem sobre o São Paulo, e restam apenas seis em disputa. O Goiás, com 44, é o 13° e volta a campo domingo, às 19h30, na Arena da Baixada, contra o Atlético-PR.

A equipe celeste jogará como campeã contra a Chapecoense, domingo, às 17h, na Arena Condá. Mas antes tem um dos jogos mais importantes de sua história: faz o clássico decisivo da final da Copa do Brasil no Mineirão depois de perder por 2 a 0 para o Atlético-MG no primeiro jogo.

Festa, mas nem tanto O Cruzeiro parecia capaz de caminhar sobre as águas nos primeiros minutos de jogo. Esfomeado pela iminência do título, partiu para cima do Goiás – estivesse o campo como estivesse. Com quatro minutos, já botava pressão, com a bola sistematicamente sobrevoando a área goiana. Uma ajeitada de Moreno quase resultou em gol – a zaga cortou. Cabeceio dele mesmo, pouco depois, confundiu metade do estádio: a bola acarinhou a rede, mas por fora. Chute de Mayke ainda foi bem defendido por Renan.

Era evidente a soberania cruzeirense. Mas não havia como precisar quando sairia um gol, se sairia um gol, de que jeito sairia um gol. Era mais provável, claro, que fosse de bola aérea. Que Mayke, de repente, aparecesse pela direita e encaixasse o cruzamento. Que, vá saber, Ricardo Goulart aparecesse feito centroavante (como ele é bom nisso) e, de cabeça, mandasse para o gol. Para o gol do Cruzeiro. Para gol de título.

O Mineirão se transformou em um bloco eufórico disfarçado de estádio. A torcida pulava, cantava, festejava o tetra. E aí teve que lembrar que o Goiás estava em campo. Samuel, aos 22, aproveitou cobrança de falta da direita, dominou na área e mandou no ângulo de Fábio: 1 a 1. O gol amarrou o Cruzeiro. Os minutos seguintes foram até de algum predomínio esmeraldino – embora sem grande resultado prático. Aos poucos, a Raposa se soltou novamente. E quase retomou a vantagem em cabeceio muito perigoso de Léo.

Faltava o de Everton Ribeiro: campeão!! O gol de Ricardo Goulart, brilhante ao longo do campeonato, já era uma justiça histórica em um jogo tão simbólico. E faltava o de Everton Ribeiro. Pois veio o segundo tempo, o Goiás seguiu incomodando, pediu pênalti de Henrique, e ainda havia aquela tensão: e se o time de branco vira o jogo? E se o São Paulo ganha do Santos e adia a festa? E se nem tudo está definido? Que nada. Se houve o gol de Goulart, haveria o de Everton Ribeiro – a dupla dinâmica do campeão. Aos 17 minutos, Willian apareceu bem na esquerda e mandou na área. O meia, com a agilidade habitual, se antecipou à marcação e fez o segundo gol.

O Mineirão tremeu. Não é mero clichê, não: o Mineirão literalmente tremeu. Parece que a torcida, naquele momento, se reconheceu como a grande campeã brasileira de 2014. E entrou em surto. - Tetracampeão! Tetracampeão! – passou a cantar.

O jogo seguiu seu curso. O Goiás, brioso na partida, foi sempre uma ameaça latente. E o Cruzeiro manteve-se atuando como se fosse apenas mais uma partida, como se o título não estivesse logo ali, a 20 minutos, 15 minutos, 10 minutos, 5 minutos, como se Fábio não fosse defender todos os chutes restantes, como se não fosse o curso natural da história esse time ser novamente campeão, como se isso não fosse quase uma determinação matemática, quase uma lei da natureza – como se alguém pudesse merecer mais do que o Cruzeiro ser outra vez o dono do Brasil.

G1

José Alfredo vira morador de rua

José Alfredo vira morador de rua
 Nos próximos capítulos de "Império", após forjar sua morte, José Alfredo (Alexandre Nero) vai se vestir com roupas velhas e sujas para acompanhar o dia dia dos filhos.


O Comendador se alia a Josué (Roberto Birindelli) e também faz de tudo para nada passar despercebido de seus olhos. Após escapar do caixão onde fora supostamente enterrado, ele arruma roupas velhas e vai morar na rua, especificamente em Santa Teresa. Zé passa noites e noites na antiga casa de Cora (Drica Moraes) e é Josué quem vai cuidar de sua comidas e roupas.


É assim que o Comendador vai se comunicar com Cristina (Leandra Leal). Depois de assumir a Império das Joias, a jovem passa a ter o motorista como seu grande conselheiro na hora de receber dicas sobre os negócios da família. Não sabe ela que Josué está recebendo todas as orientações do Comendador.


Com todo esse suporte, Cristina vai enfrentar com muita garra a barra com a família Medeiros e Albuquerque e coloca em prática tudo o que for necessário para o bom andamento da joalheria.

"Império" vai ao ar logo após o "Jornal Nacional".


Natelinha.ne10

21 de novembro de 2014

MP ajuíza ação contra prefeito por não pagar 1/3 de férias

MP ajuíza ação contra prefeito por não pagar 1/3 de férias
 A Promotoria do Patrimônio Público de Bayeux ajuizou uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o prefeito Expedito Pereira devido ao atraso do pagamento do adicional de um terço constitucional de férias aos servidores públicos municipais.

De acordo com a promotora de Justiça Anita Bethânia Rocha, informações prestadas por representantes do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Bayeux (Sintramb), em audiência realizada em setembro deste ano, foi observado que o pagamento do 1/3 de férias não estaria sendo efetuado pela Prefeitura Municipal, aos servidores públicos, desde agosto de 2013.

A promotora informou ainda que, no dia 09 de outubro de 2014, a Promotoria expediu uma recomendação para que o prefeito restaurasse imediatamente o pagamento do 1/3 aos servidores públicos municipais, bem como para que adotasse as providências necessárias ao pagamento dos adicionais de férias em atraso. A recomendação foi recebida no Gabinete do Prefeito no dia 15 de outubro de 2014 e, no dia 20 de outubro, foi expedido ofício para que informasse as providências adotadas (recebido no dia 29 de outubro de 2014). “No entanto, não houve manifestação por parte do réu, tendo o Sintramb informado que não havia informações de qualquer servidor que tivesse recebido o pagamento do terço de férias” explicou a promotora.

“O prefeito insistiu em manter-se inerte, não adotando as providências necessárias ao reestabelecimento da legalidade, viola, de maneira inequívoca, os princípios norteadores da Administração Pública, sobretudo os princípios da legalidade e da moralidade, configurando ato de improbidade administrativa”, afirma a promotora na ação.


Pedidos

A ação requer a condenação do prefeito ao ressarcimento integral dos danos, se houver; perda da função pública; suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos; pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo prefeito; proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.


Ascom